cinco Exercícios Do Crossfit Para você Fazer Em Residência

A procrastinação poderá ser uma inimiga da rotina para que pessoas não consegue escapulir dela. Adiar as tarefas é contraprodutivo no momento em que se quer otimizar o tempo e recolher o máximo de um dia. Mas é um dificuldade tão enraizado no ser humano, que pesquisadores conseguiram compilar uma coletânea de filósofos que estudaram o cenário durante a história.

E como parar de procrastinar? Tratar uma questão praticamente intrínseca às pessoas (salvo exceções) com técnicas faladas “fáceis”, como hacks, pois, tem uma eficiência limitada. Dessa maneira, o site Quartz desenvolveu um guia, que combina hacks com táticas pessoais pra você examinar seus processos internos. E, desse jeito, desenvolver uma “própria abordagem holística” pra compreender como parar de procrastinar – de uma vez por todas.

Procrastinar é simplesmente o feito de adiar o implemento de uma tarefa que precisa ser praticada. “Você domina o que precisa fazer e não é qualificado de fazer. É uma lacuna entre pretenção e ação”, resume o psicólogo Timothy Pychyl, da Universidade Carleton. Pode ser algo consciente ou feito inconscientemente. Em ambos os casos, adiciona uma decisão de “empurrar” a atividade. Isso é feito principalmente se dedicando a novas tarefas – várias vezes, de menor importancia e mais prazerosa. Por exemplo, se você tem que ajeitar o seu quarto com emergência, todavia, em vez disso, assistiu a um vídeo e respondeu e-mails, você procrastinou.

  • Cantando a música favorita dele
  • Tratamentos Pra Queda De Cabelo Em Homens E Mulheres Que devia Compreender
  • 3- Compartilhe seus produtos
  • Shampoo antirresíduos
  • Dor nos olhos
  • 15 – Seja seu próprio guia
  • Saída HDMI: x um
  • Da adaptabilidade às necessidades do empreendimento

É algo mais comum pela rotina do que parece, não? Porém, é muito perigoso para que pessoas quer ser produtivo: numa busca consumada pela Fundação Estudar, em parceria com a MindMiners, 52% dos que responderam testemunharam que a procrastinação é, efetivamente, o superior inimigo da sua produtividade. Embora pareça um mal da existência moderna, procrastinar é uma realidade desde as civilizações antigas. O poeta grego Hesíodo, como por exemplo, escreveu, em torno de 800 a.C., “deixar seu trabalho até amanhã e no dia seguinte”. De modo geral, o cérebro humano “se rende” à procrastinação já que tem preferência na recompensa imediata. Sendo assim, tende a lutar com tarefas que asseguram vantagens futuras em troca de esforços presentes.

Alguns lidam mais frequentemente com a procrastinação visto que ela é influenciada por fatores genéticos. Além do mais, as situações “negativas” de uma tarefa também conseguem contribuir. Se alguma coisa é desagradável de fazer, ou mais difícil, a título de exemplo. Fazer um pequeno primeiro movimento é uma estratégia apoiada na ciência pra vencer a procrastinação. O truque é definir uma meta baixa, “tão baixa que o hedonista em você, que prefere se notar bem de imediato e suportar com coisas reais depois, não vai se negar”, resume o Quartz.

O psicólogo e diretor do Centro de Pesquisa a respeito Procrastinação da Universidade de Carleton, no Canadá, Tim Pychyl, testou essa abordagem. As descobertas confirmaram sua efetividade: “uma vez que os alunos começaram, eles avaliaram as tarefas como menos difíceis e menos estressantes, e ainda mais agradáveis do que pensavam”, diz Tim. Além do mais, completar os micro-objetivos auxílio a dar uma intuição de realização, que serve como combustível para prosseguir trabalhando. Acreditar que devia esperar estar com excelente humor pra fazer alguma coisa é uma arapuca que poderá levar à procrastinação.

Joseph Ferrari, um professor de psicologia pela Universidade DePaul, nos EUA, descobriu que o pensamento “não estou com humor pra executar X tarefa” poderá transportar a um período vicioso. De acordo com Fuschia Sirois, professora e psicóloga na Universidade de Sheffield, no Reino Unido, admite que se esquivar de uma atividade com a desculpa “do humor” é um jeito de regular externamente as emoções. Sejam elas, medo de falhar, de decepcionar os outros, de perder autoestima, de não se sair perfeitamente, etc. “É somente uma forma de resolver com emoções com as quais você está mal preparado para lidar”, explica Fuschia.